Neurocrânio

Os oito ossos cranianos são divididos entre calvário (calota) e base.

Cada uma dessas duas áreas é constituída principalmente de quatro ossos.

Calvário (calota)

1. Frontal
2. Parietal direito
3. Parietal esquerdo
4. Occipital

Base

5. Temporal direito
6. Temporal esquerdo
7. Esfenoide
8. Etmoide

veja a nomenclatura completa em nossa vídeo-aula

Frontal

É o osso da calvária mais prontamente visível. Esse osso, que forma a fronte, a parte superior, o teto da órbita ocular e a maior parte da fossa craniana anterior.

É um osso pneumático (seio frontal) e possui uma pequena depressão entre os arcos superciliares denominada Glabela.

 

O osso frontal apresenta duas caras:

Uma, posterior e côncava, a cara interna (endocranial ou cerebral).

A outra, anterior, angulosa e projetada para frente, a cara externa (exocranial ou cutânea).

VISTA ANTERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

VISTA INFERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Parietais

Os ossos parietais, formam os lados e a abóboda craniana.

É um osso par, possuindo dois lados: esquerdo e direito.

Estes lados são unidos pela sutura Sagital. 

É um osso achatado.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011

VISTA LATERAL

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

VISTA MEDIAL

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Occiptal

O osso occipital está localizado na parte posterior do crânio e, é dividido em quatro partes: uma basilar, uma escamosa e duas laterais.

O principal acidente anatômico encontrado é o forame magno.

A região delimitada pelo forame, além de ser o local de comunicação entre a cavidade craniana e o canal vertebral, é também onde a medula espinhal se converte em medula oblonga – contínua com o bulbo do tronco encefálico.

Pelo forame magno passam as meninges, raízes espinhais, ramos meníngeos do primeiro ao terceiro nervos cervicais, artérias vertebrais e artérias espinhais.

VISTA SUPERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

VISTA INFERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Temporais

O osso temporal é um osso par que forma as laterais do crânio ou têmporas.

É um osso irregular e situa-se na região lateral e inferior do crânio, constitue as paredes laterais do crânio e na sua cavidade timpânica localizam-se os 3 ossículos da orelha média.

A saliência óssea atrás da orelha chama-se Apófise Mastoide.

 

Os principais acidentes anatômicos encontrados são:

Processo mastóideo;

Parte petrosa;

Parte escamosa;

M.A.E. (meato acústico externo);

M.A.I. (meato acústico interno);

Processo estilóide; 

Processo zigomático.

VISTA LATERAL

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011

Esfenóide

O osso esfenoide é um osso situado na base do crânio na frente das partes temporal e basilar do osso occipital. Apresenta um formato semelhante a uma borboleta ou morcego com as asas estendidas.

 

Os principais acidentes anatômicos encontrados são:

Corpo;

Asa maior;

Asa menor;

Processo clinóide anterior;

Processo clinóide posterior;

Fossa hipofisária (Sela turca);

Canal óptico;

Seio esfenoidal.

VISTA ANTERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011

FOSSA HIPOFISÁRIA (Sela turca)

Uma deformidade da sela turca é frequentemente o único indício de uma lesão intracraniana; logo, uma radiografia da sela turca pode ser muito importante.

A depressão da sela turca e o dorso da sela são mais bem vistos no perfil.

Os processos clinóides anteriores são superiores a sela turca, e os processos clinóides posteriores são vistos como pequenas extensões localizadas acima do dorso da sela.

Posterior ao dorso em direção ao forame magno, localiza-se o Clivo.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011

Etmóide

O etmoide é um osso denominado curto, uma vez que a sua altura, comprimento e largura se equivalem harmoniosamente, não havendo predomínio de nenhuma destas dimensões.

Este osso localiza-se na base do crânio, mais concretamente, na zona anterior medial.

A lâmina horizontal é também chamada lâmina crivosa devido aos crivos (orifícios) que possui.

 

Os principais acidentes anatômicos encontrados são:

Lâmina perpendicular;

Concha nasal média;

Crista etmoidal;

Células etmoidais (seio etmoidal);

Lâmina orbital;

Lâmina cribiforme ou crivosa.

VISTA SUPERIOR

SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011

teste seus conhecimentos no nosso jogo de pontos!

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!