Posicionamento radiológico do crânio – Seios paranasais

indicações clínicas

Fraturas (particularmente trípodes e Le Fort) e processos neoplásicos ou inflamatórios.

Corpos estranhos no olho.

Fraturas do crânio (deslocamento medial ou lateral), processos neoplásicos e doença de Paget.

Patologia óssea avançada do temporal interno (base do crânio).

Condições inflamatórias (sinusite, osteomielite secundária).

Pólipos ou cistos nos seios paranasais.

perfil

paciente

Em ortostático ou DV; com os braços estendidos ao longo do corpo ou apoiados nas laterais da mesa ou estativa.

Colocar a cabeça na posição em perfil verdadeiro, Alinhar a LIP perpendicularmente ao RI, garantindo que não haja inclinação da cabeça.

observação

Colocar a cabeça em posicionamento em perfil verdadeiro, com o lado de interesse mais próximo ao RI e o corpo do paciente em posição semipronada.

Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.
Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.

local

Estativa / mesa – Com Bucky.

dff

1 metro.

chassis

24 x 30 transversal.

rc

⊥ – Na transversal. Centralizar 5 cm superior ao MAE.

WATERS - MENTONASO / Parietoacantial (boca aberta)

paciente

Em ortostático ou DV; com os braços estendidos ao longo do corpo.

Deverá apoiar a região mentoniana sobre a estativa / mesa, com o PMS perpendicular sobre a LCE / LCM, a linha mentomeatal perpendicular à estativa / mesa, PVO e PHA angulados.

observação

Peça para que o paciente abra a boca e incline a cabeça para trás para separar e projetar os seios esfenoidais, inferiores aos seios etmoidais.

Imagem: Acervo do autor
Imagem: Acervo do autor

local

Estativa / mesa – Com Bucky.

dff

1 metro.

chassis

24 x 30 longitudinal.

rc

⊥ – Na transversal apontado para a lambda, saindo no acanto.

caldwell - fronTONASO / pa (sem angulação)

paciente

Em ortostático ou DV; com os braços estendidos ao longo do corpo.

PMS perpendicular sobre a LCE / LCM, encostando a ponta do nariz no bucky,  ajustar a cabeça até que a LOM fique perpendicularmente ao RI.

observação

Nesta incidência os rochedos devem aparecer no 1/3 inferior das orbitas.

Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.
Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.

local

Estativa / mesa – Com Bucky.

dff

1 metro.

chassis

18 x 24 longitudinal.

rc

⊥ – Na transversal próximo a lambda, saindo no násio.

submentovértice (smv) - hirtz

paciente

Levantar o mento, hiperestendendo o pescoço, se possível, até a LIOM estar paralela à estativa / mesa.

Apoiar a cabeça sobre o vértice do crânio.

Alinhar o PMS perpendicularmente à linha média da estativa ou mesa e garantir a ausência de rotação ou inclinação.

observação

Se o paciente for incapaz de estender pescoço suficientemente, angule o tubo da horizontal, como necessário para alinhar o RC perpendicularmente à LIOM.

Essa posição é muito desconfortável para o paciente, use uma cadeira e peça para sentar enquanto apoia a cabeça na estativa.

Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.
Imagem: Bontrager, 8ª ed., 2015.

local

Estativa / mesa – Com Bucky.

dff

1 metro.

chassis

24 x 30 longitudinal.

rc

⊥ – Na transversal, centralizado no meio do caminho entre os ângulos da mandíbula.

Referências Bibliográficas

ATLAS DE ANATOMIA HUMANA EM IMAGENS: WEIR, Jamie; ABRAHAMS, Peter H. 4 ed. São Paulo: Manole, 2000.

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

POCKET ATLAS OF SECTIONAL ANATOMY: Moeller TB, Reif E. Spine, Extremeties, Joints. Vol. 3, New York, Thieme, 2007.

Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!