Vasos dos MMII – veias

As veias do membro inferior drenam o sangue desoxigenado e o devolvem ao coração.

Elas podem ser divididas em dois grupos: profundas e superficiais:

As veias profundas estão localizadas sob a fáscia profunda do membro inferior, acompanhando as principais artérias.

As veias superficiais são encontradas no tecido subcutâneo.

Nesta página, estudaremos a anatomia e as correlações estruturais das principais veias dos membros inferiores.

veias profundas

O sistema de drenagem venosa profunda do membro inferior está localizado abaixo da fáscia profunda do membro inferior. 

Como regra geral, as veias profundas acompanham e compartilham os nomes das principais artérias do membro inferior.

Muitas vezes, a artéria e a veia estão localizadas dentro da mesma bainha vascular, de modo que as pulsações arteriais auxiliam o retorno venoso.

pé e perna

A principal estrutura venosa do pé é o arco venoso dorsal, que drena principalmente para as veias superficiais.

Algumas veias do arco penetram profundamente na perna, formando a veia tibial anterior.

No aspecto plantar do pé, surgem as veias plantares medial e lateral

Essas veias se combinam para formar as veias tibiais e fibulares posteriores

A veia tibial posterior acompanha a artéria tibial posterior, entrando na perna posteriormente ao maléolo medial.

Na face posterior do joelho, as veias tibial anterior, tibial posterior e fibular se unem para formar a veia poplítea

A veia poplítea entra na coxa através do canal adutor.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

coxa

Uma vez que a veia poplítea tenha entrado na coxa, ela é conhecida como veia femoral

Está situada anteriormente, acompanhando a artéria femoral.

A veia profunda da coxa (veia femoral profunda) é a outra estrutura venosa principal na coxa. 

Através das veias perfurantes, drena o sangue dos músculos da coxa. 

Em seguida, esvazia a secção distal da veia femoral.

A veia femoral deixa a coxa correndo por baixo do ligamento inguinal, ponto em que é conhecida como a veia ilíaca externa.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

região glútea

A região glútea é drenada por veias glúteas inferiores e superiores

Estas desembocam na veia ilíaca interna.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

veias superficiais

As veias superficiais do membro inferior correm no tecido subcutâneo.

Existem duas veias superficiais principais – a veia safena magna e a veia safena parva.

BONTRAGER: Kenneth L.; John P. Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

A grande veia safena - veia safena magna

A veia safena magna é formada pelo arco venoso dorsal do pé e pela veia dorsal do Hálux

Ela sobe pelo lado medial da perna, passando anteriormente para o maléolo medial no tornozelo e, posteriormente, para o côndilo medial do joelho.

Conforme a veia sobe pela perna, ela recebe tributárias de outras pequenas veias superficiais.

A veia safena magna termina por drenar para a veia femoral imediatamente inferior ao ligamento inguinal.

Cirurgicamente, a veia safena magna pode ser colhida e usada como um vaso nas artérias coronárias.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

A pequena veia safena - safena parva

A veia safena parva é formada pelo arco venoso dorsal do pé e pela veia dorsal do dedo mínimo

Ele se move para cima do lado posterior da perna, passando posteriormente para o maléolo lateral, ao longo da borda lateral do tendão do calcâneo. 

Move-se entre as duas cabeças do músculo gastrocnêmio e deságua na veia poplítea na fossa poplítea.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!
Scroll Up