Divisão do corpo humano e posição anatômica

O corpo humano divide-se em cabeça, pescoço, tronco e membros.
A cabeça corresponde à extremida­de superior do corpo estando unida ao tronco por uma porção estreitada, o pescoço.
O tronco compreende o tórax, abdome, pelve e sua região posterior, o dorso.
Dos membros, dois são superiores ou torácicos e dois inferiores ou pélvicos.
Na transição entre o braço e o antebraço há o cotovelo; entre o antebraço e a mão, o punho; entre a coxa e a perna, o joelho, e entre a perna e o pé, o tornozelo.
A região posterior do pescoço é deno­minada nuca e a do tronco, dorso.
As nádegas corres­pondem a região glútea.

Homem Vitruviano

Feito por Leonardo da Vinci por volta de 1490 baseando-se no conceito exposto na obra “Os dez livros da Arquitetura”, escrito pelo arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio.
O homem descrito por Vitruvius apresenta-se como um modelo ideal para o ser humano, cujas proporções são perfeitas, segundo o ideal clássico de beleza.
O desenho também é considerado como um símbolo da simetria básica do corpo humano e, para extensão, para o universo como um todo.
Esse desenho é usado até hoje por ilustradores para aprender a proporção humana, como se fosse um guia universal de ilustração.
No entanto para os dias atuais, as proporções e identificações no corpo humano são baseadas na posição anatômica.

Posição anatômica

Para evitar o uso de termos diferentes nas des­crições anatômicas, considerando-se que a posição po­de ser variável, optou-se por uma posição padrão, de­nominada posição anatômica.
Deste modo, os anatomistas, quando es­crevem seus textos, referem-se ao objeto de descrição considerando o indivíduo na posição padronizada. 

A posição anatômica é descrita como:

Indivíduo em posição ereta (em pé, posição ortostática ou bípede);
Com a face vol­tada para frente;
O olhar dirigido para o horizonte;
membros superiores estendidos, ao longo do tronco e com as palmas voltadas para frente;
membros inferiores unidos, com as pontas dos pés dirigidas para frente.
Não importa, portanto, que o cadáver esteja sobre a mesa em decúbito dorsal (com o dorso acolado à mesa), decúbito ventral (com o ventre acolado à me­sa) ou decúbito lateral (de lado): as descrições anatômicas são sempre feitas considerando o indivíduo em posição anatômica.
Representação da posição anatômica
Para os animais quadrúpedes, a posição ana­tômica refere-se ao animal na sua posição ordinária, com os quatro membros estendidos firmemente sobre o solo.

Termos de posição e direção

Anterior / Ventral / Frontal: na direção da frente do corpo.
Posterior / Dorsal: na direção das costas (traseiro).
Superior / Cranial: na direção da parte superior do corpo.
Inferior / Caudal: na direção da parte inferior do corpo.
Medial: mais próximo do plano sagital mediano (linha sagital mediana.
Lateral: mais afastado do plano sagital mediano (linha sagital mediana).
Mediano: Exatamente sobre o eixo sagital mediano.
Intermédio: entre medial e lateral.
Médio: estrutura ou órgão interposto entre um superior e inferior, anterior e posterior e também entre proximal e distal.
Proximal: próximo da raiz do membro. Na direção do tronco.
Distal: afastado da raiz do membro. Longe do tronco ou do ponto de inserção.
Superficial: significa mais perto da superfície do corpo.
Profundo: significa mais afastado da superfície do corpo.
HANSEN, John T. Netter Anatomia Para Colorir. 1.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2010

veja a nomenclatura completa em nossas vídeo-aulas

inscreva-se em nosso canal

possíveis posições do corpo humano

posição ereta / ortostática

Consiste em solicitar que o cliente e/ou paciente fique de pé com o tronco ereto e os braços ao longo do corpo, os pés devem estar ligeiramente afastados e o olhar fixo na linha do horizonte.
Esta posição também é conhecida como posição ortostática (bípede).

homolateral e contralateral

Homolateral / Ipsilateral: do mesmo lado do corpo ou de outra estrutura.
Contralateral: do lado oposto do corpo ou de outra estrutura.

decúbitos

Decúbito Dorsal / Supinada
Deitado de barriga para cima.
 
Decúbito Ventral – Pronada
Deitado de barriga para baixo.
 
Decúbito Lateral
Deitado de lado.

posição sentada

Posição em que a pessoa ou paciente encontra-se em um assento com as nádegas apoiadas.
Podendo estar ou não com o dorso apoiado.

posição de fowler

Utilizada em pacientes que tenham dificuldades respiratórias, no momento da alimentação, em pós-operatório nasal.
Cabeceira elevada em 45º em Semi-Fowler e 90º em Fowler-Alta.

posição de kraske ou canivete

Posição em que o paciente está deitado, com os quadris flexionados e elevados, com a cabeça e os pés para baixo.
Esta posição é usada para a cirurgia renal, à medida que se aumenta o ângulo costovertebral permite ao cirurgião ter o acesso ideal aos rins.

Posição de Sims

Similar ao decúbito lateral, porém o peso do paciente fica sobre o osso ilíaco anterior, úmero e clavícula.

Posição de litotomia

A paciente é colocada em decúbito dorsal, com os ombros e cabeça ligeiramente elevados.
As coxas bem afastadas uma da outra e flexionadas sobre o abdome.
Esta posição é utilizada em partos normais, cirurgias ou exame do períneo, vagina e bexiga.

Posição ginecológica

Diferencia-se da posição litotômica apenas pela curvatura dos joelhos, pois na litotômica ficam flexionados a 90º, e as coxas não precisam ficar flexionadas acima do abdome no mesmo ângulo da litotômica.
Sua finalidade é para realizar um exame vaginal ou vulvo vaginal, sondagem vesical de demora ou alivio, tricotomia, parto normal, entre outras.

Posição Genupeitoral

É um tipo de decúbito ventral, com tórax e coxas flexionadas, levantando o assento, apoiando-se nos joelhos e cotovelos.
Geralmente é utilizada para exmes do reto e próstata.

posição de Trendelemburg

É uma variação da posição de decúbito dorsal, onde a parte superior do dorso é abaixada e os pés são elevados.
Mantém as alças intestinais na parte superior da cavidade abdominal.
Posição utilizada para cirurgias de órgãos pélvicos, estados de choque, tromboflebites e laparotomia de abdome inferior.

Posição de Trendelemburg Invertida

Trendelemburg invertida é usada para tratar embolismo aéreo venoso, melhorar a circulação da região cerebral, atingir um nível efetivo de anestesia epidural ou espinhal, prevenir broncoaspiração de vômitos e ingurgitar vasos do cérvix para colocação de cateteres venosos centrais.
A posição é também usada para cirurgias de cabeça, pescoço e procedimentos ginecológicos, pois reduz o fluxo sanguíneo nestas áreas.

Planos de delimitação do corpo humano

Na posição anatômica o corpo humano pode ser delimitado por planos tangentes à sua superfície, os quais, com suas intersecções, determinam a formação de um sólido geométrico, um paralelepípedo. 
 
Tem-se assim, para as faces desse sólido, os se­guintes planos correspondentes:
A) Dois planos verticais, um tangente ao ventre — plano ventral ou anterior — e outro ao dor­so — plano dorsal ou posterior.
Estes e outros a eles paralelos são também designados como planos frontais, por serem paralelos à “fron­te”.
Via de regra, as denominações ventral e dorsal são reservadas ao tronco e anterior e posterior, aos membros;
B) Dois planos verticais tangentes aos lados do corpo — planos laterais direito e  esquerdo;
C) Dois planos horizontais, um tangente à cabe­ça — plano cranial (cefálico) ou superior — e outro à planta dos pés — plano podálico (de podos – pé) ou inferior.
planos anatomicos
O tronco isolado é limitado, inferiormente, pelo plano horizontal que tangencia o vértice do cóccix, ou seja : o osso que no homem é o vestígio da cauda de outros animais. 
Por esta razão, este plano é denomina­do caudal.

Planos de secção do corpo humano

sagital mediano e paramediano

A) O plano que divide o corpo humano em meta­des direita e esquerda de tamanhos idênticos é denominado sagital mediano.
Quando divide o corpo humano em meta­des direita e esquerda de tamanhos diferentes é denominado sagital paramediano.
Toda secção do corpo feita por pla­nos paralelos ao mediano é uma secção sagital (corte sagital) e os planos de secção são também chamados sagitais.
Plano sagital mediano, que divide o corpo em duas metades idênticas.

frontal ou coronal

B) Os planos de secção que são paralelos aos planos ventral e dorsal são ditos frontais e a secção é também denominada frontal ou coronal (corte frontal ou coronal).
Como já foi assinalado, o plano ven­tral (ou anterior) é tangente à fronte do in­divíduo, donde o adjetivo — frontal.
Plano de secção frontal ou coronal, que divide o corpo em anterior e posterior

transversal / axial / horizontal

C) Os planos de secção que são paralelos aos pla­nos cranial, podálico e caudal são horizontais.
A secção é denominada transversal / axial / horizontal (corte transversal ou axial ou ainda horizontal).
Os três termos podem ser usados. 
Plano de secção transversal, axial ou horizontal, que divide o corpo em superior e inferior.

oblíquos

D) Os cortes oblíquos são “fatias” do corpo ou de qualquer uma de suas partes que não são feitas ao longo de um dos planos anatômicos já mencionados.
É um plano longitudinal ou transverso, que está angulado ou inclinado (diagonal) e não paralelo aos planos sagital, coronal ou axial.
Na prática, muitas imagens radiológicas e cortes anatômicos não são feitos exatamente nos planos sagital, frontal ou transverso.
As vezes, são feitas em oblíquos.
Plano de secção oblíquo, que é feito angulado ou inclinado.

RESUMO

veja a nomenclatura completa em nossa vídeo-aula

inscreva-se em nosso canal

eixos do corpo humano

Quando é observado o movimento do corpo humano, aplica-se o conhecimento de eixo.
Os eixos são linhas imaginárias que atravessam os planos do corpo perpendicularmente para possibilitar movimentos.
Lembrando que estes planos e eixos serão sempre aplicados nas partes do corpo humano que permitem graus de movimentos amplos.

Látero-Lateral

É uma linha imaginária que passa do lado direito para o esquerdo do corpo ou vice-versa.
Estende-se de um lado ao outro, tanto da direita para esquerda quanto o inverso, perpendicular ao plano sagital.
Esse eixo também é conhecido como Transversal ou Horizontal. 
Possibilita os movimentos de flexão e extensão.
Ex.: Articulação do ombro, do cotovelo, etc.

Ântero-Posterior

É uma linha imaginária que atravessa o corpo no sentido anterior para o posterior e vice-versa.
Estende-se em sentido anterior para posterior, perpendicular ao plano frontal.
Esse eixo também é chamado de sagital.
Possibilita os movimentos de abdução e adução.
Ex.: Articulação do ombro, do quadril, etc.

Longitudinal / crânio caudal

É uma linha imaginária que passa pelo corpo de cima para baixo.
Estende-se de cima para baixo (ou vice e versa), perpendicular ao plano transversal.
Esse eixo possibilita os movimentos de rotação lateral e medial.
Ex.: Articulação do ombro, do cotovelo, etc.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!

Deixe uma resposta