A musculatura da coxa é dividida em três compartimentos: Ântero-lateral, Posterior e Póstero-medial.

COMPARTIMENTO âNTERO-lateral

sartório

origem

Espinha ilíaca ântero-superior.

inserção

Tuberosidade da tíbia, formando a pata de ganso.

inervação

Nervo Femoral (L2, L3).

principais ações

Flexão, rotação lateral e abdução do quadril. Flexão e rotação medial do joelho.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Tensor da Fáscia Lata

origem

Espinha ilíaca ântero-superior.

inserção

Extremidade lateral da tíbia, abaixo do côndilo lateral através do trato íliotibial.

inervação

N. glúteo superior (L5, S1).

principais ações

Flexão, abdução e rotação medial do quadril e estabilização do joelho.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Fáscia Lata e o Trato Íliotibial

A fáscia lata recobre toda a lateral da coxa e recebe esse nome pela sua ampla extensão.
Proximalmente, na face anterior da coxa, ela é a continuação das fáscias abdominal externa e toracolombar, nessa região ela se insere no osso do quadril e no ligamento inguinal.
Na região posterior da parte proximal ela se continua à aponeurose glútea.
Distalmente continua-se com a fáscia da perna, tendo limites imprecisos.
Medialmente reveste a musculatura adutora e essa é a sua porção mais delgada e não aponeurótica.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
Na porção lateral ela se insere na crista ilíaca e próximo ao trocanter maior do fêmur adquire um aspecto tendíneo chamado de trato íliotibial, que corre por toda a face lateral da coxa, sobre o m. vasto lateral para se inserir na tíbia.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

quadríceps femoral

Este músculo envolve quase que por completo o fêmur.
É composto por quatro músculos que recebem nomes distintos, pois tem origens diferentes, mas possuem uma única inserção comum. São eles:
M. reto femoral; M. vasto medial; M. vasto lateral e M. vasto intermédio.

reto femoral

origem

Espinha ilíaca ântero-inferior.

inserção

Tuberosidade da tíbia.

inervação

Nervo Femoral (L2, L3, L4).

principais ações

Extensão do Joelho e flexão do quadril.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

vasto medial

origem

linha áspera e linha intertrocantérica.

inserção

Tuberosidade da tíbia.

inervação

Nervo Femoral (L2, L3, L4).

principais ações

Extensão do Joelho e rotação medial do quadril.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

vasto lateral

origem

linha áspera e trocânter maior.

inserção

Tuberosidade da tíbia.

inervação

Nervo Femoral (L2, L3, L4).

principais ações

Extensão do Joelho e rotação lateral do quadril.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

vasto intermédio

Está recoberto pelo m. reto femoral. É um músculo plano que forma a parte mais profunda do m. quadríceps.

origem

2/3 proximais da face anterior e lateral do fêmur.

inserção

Tuberosidade da tíbia.

inervação

Nervo Femoral (L2, L3, L4).

principais ações

Extensão do Joelho.
Imagem: www.visiblebody.com
Imagem: www.kenhub.com
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

COMPARTIMENTO póstero-medial

Pectíneo

origem

Linha pectinea do púbis.

inserção

Linha pectinea do fêmur.

inervação

N. femoral (L2, L3); pode receber um ramo do N. obturatório.

principais ações

Flexão, adução e rotação lateral do quadril.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Grácil

origem

Sínfise púbica.

inserção

Extremidade proximal da tíbia, formando a pata de ganso.

inervação

Nervo Obturatório (L2, L3).

principais ações

Adução, flexão e rotação lateral do quadril. Flexão e rotação medial do joelho.
Imagem: www.kenhub.com
Imagem: teachmeanatomy.com
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Adutor Curto

origem

Ramo inferior do púbis.

inserção

Lábio medial da linha áspera.

inervação

N. obturatório, ramo da divisão anterior (L2, L3, L4).

principais ações

Adução, flexão e rotação lateral da coxa.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Adutor Longo

origem

Superfície anterior do púbis e sínfise púbica.

inserção

Lábio medial da linha áspera.

inervação

N. obturatório, ramo da divisão anterior (L2, L3, L4).

principais ações

Adução, flexão e rotação lateral da coxa.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Adutor magno

origem

Ramo inferior do púbis e tuberosidade isquiática.

inserção

Lábio medial da linha áspera e tubérculo adutor.

inervação

Parte adutora: N. obturatório (L2, L3, L4), ramos da divisão anterior.
Parte associada aos músculos isquiotibiais:
Parte tibial do N. isquiático (L4).

principais ações

Adução, flexão e rotação lateral da coxa.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Obturador Externo

origem

Ramos do púbis e ísquio e face externa da membrana obturatória.

inserção

Fossa trocantérica.

inervação

N. obturatório (L3, L4).

principais ações

Rotação Lateral da Coxa.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

COMPARTIMENTO posterior

Bíceps Femoral

É formado por duas porções: Cabeça longa  (medial) e cabeça curta (lateral).

origem

Cabeça Longa: Tuberosidade isquiática e ligamento sacro-tuberoso
Cabeça Curta: Lábio lateral da linha áspera

inserção

Cabeça da fíbula e côndilo lateral da tíbia.

inervação

Cabeça longa: divisão tibial do N. isquiático (L5, S1, S2).
Cabeça curta: divisão fibular comum do N. isquiático (L5, S1, S2).

principais ações

Extensão, adução e rotação lateral da coxa. Flexão e rotação lateral da perna.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Semimembranáceo

origem

Tuber isquiático.

inserção

Face medial da extremidade superior da tíbia, abaixo do côndilo medial.

inervação

Divisão tibial do N. isquiático, parte da tíbia (L5, S1, S2).

principais ações

Rotação medial, extensão e adução da coxa. Flexão e rotação medial da perna.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Semitendíneo

origem

Tuber isquiático.

inserção

Tuberosidade da tíbia, formando a pata de ganso.

inervação

Divisão tibial do N. isquiático, parte da tíbia (L5, S1, S2).

principais ações

Rotação medial, extensão e adução da coxa. Flexão e rotação medial da perna.
Imagem: teachmeanatomy.com
Imagem: https://commons.wikimedia.org
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

Pata de ganso (ou pé anserino)

Este nome é dado ao encontro de 3 tendões próximos a região do joelho:
Sartório, grácil e semitendíneo.
Devido ao fato da região ter o formato semelhante a pata de uma ave, foi dado esse nome.
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

isquiotibiais / isquiossurais / mm. do jarrete

Formam um conjunto de 3 músculos localizados na região posterior da coxa.
Recebem este nome por originarem-se no ísquio e se inserem na extremidade proximal da tíbia.
Tais músculos são:
Semimembranáceo, semitendíneo e a cabeça longa do bíceps femoral.
Também são conhecidos como “músculos do jarrete“, termo originado da antiga prática de pendurar o quadril e coxa de animais através destes tendões, e do termo “jarretar” utilizado para denominar a ação de cortar os tendões dos músculos posteriores da coxa dos cavalos inimigos (ou dos inimigos) impossibilitando-os de continuar a batalha.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!