O esqueleto do pé, como o da mão, constitui-se de ossos irregulares articulados entre si:
O tarso, com o qual se articulam cinco ossos longos, em conjun­to denominados metatarso; com os ossos do metatarso, por sua vez, articulam-se as falanges dos de­dos.
A descrição feita a seguir é um estudo do es­queleto do pé como um todo e, assim, deve ser acompanhada tendo-se em mãos um esqueleto articu­lado deste segmento.
BONTRAGER: Kenneth L.; John P. Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
NETTER: Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed
NETTER: Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed

tarsos

Observe a figura e identifique os ossos que constituem o esqueleto do pé.
Ossos do tarso:
Tálus; Calcâ­neo; Navicular; Cubóide; Cuneiformes (medial, lateral e intermédio).
NETTER: Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed
O tálus termina anteriormente numa projeção arredondada, a cabeça do tálus, unida ao restante do osso, o corpo, por uma porção estreitada, o colo.
A parte superior do corpo apre­senta superfícies articulares que, no conjunto, consti­tuem a tróclea do tálus.
Note, num esqueleto arti­culado, que estas superfícies se articulam com a tíbia e a fíbula.
O restante do corpo do tálus repou­sa sobre o calcâneo que, para recebê-lo, apresenta uma projeção medial denominada, por esta razão, sus­tentáculo do tálus, visível numa vista inferior do es­queleto do pé.

veja a nomenclatura completa em nossa vídeo-aula

Observe como grande parte do calcâneo ultrapassa posteriormente os limi­tes do tálus.
Entre o tálus e o calcâneo, mais particularmente entre a porção ante­rior do calcâneo e a cabeça do tálus apresenta-se um verdadeiro canal, ou funil, o seio do tarso.
A ca­beça do tálus articula-se com o osso navicular e este com os três cuneiformes (medial, intermédio e la­teral) enquanto o calcâneo articula-se com o cubói­de.

inscreva-se em nosso canal

metatarsos

Identifique também os ossos metatársicos de l a V.
BONTRAGER: Kenneth L.; John P. Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
NETTER: Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed

falanges

E reconheça as falanges dos dedos (proximal, média e distal).
BONTRAGER: Kenneth L.; John P. Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
Observe então, na figura abaixo, que é possível distinguir duas cadeias de ossos no esqueleto do pé:
A primeira; medial, está representada pelo tálus, navicular, cuneiformes (medial, intermédio e lateral), e l, II e III ossos metatársicos;
A segunda; la­teral, pelo calcâneo, cubóide e IV e V ossos me­tatársicos. A cadeia lateral fica em nível mais baixo que a medial.
Os ossos metatársicos apresentam uma base (extremidade proximal), um corpo e uma cabeça (extremidade distal).
Observe que o I metatársico é o mais volumoso dos cinco, o que denuncia de imediato a sua participação direta como suporte do peso do corpo.
Quanto às falan­ges, o hálux apresenta apenas duas, o que também pode ocorrer, ocasionalmente, no 5º dedo.

veja a nomenclatura completa em nossa vídeo-aula

inscreva-se em nosso canal

NETTER: Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed

teste seus conhecimentos no nosso jogo de pontos!

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!

Deixe uma resposta