A artéria ilíaca externa passa por baixo do ligamento inguinal e alcança o membro inferior denominada de artéria femoral.
Esta é a principal fonte de irrigação do membro inferior.
A artéria femoral se encontra (medial) no trígono femoral, sendo, lateral ao nervo femoral e medial a veia femoral.
O trígono femoral é limitado por:
Ligamento inguinal (superiormente)
 
Músculo sartório (lateralmente)
 
Músculo adutor longo (medialmente)
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

coxas e glúteos

A principal artéria do membro inferior é a artéria femoral
É uma continuação da artéria ilíaca externa (ramo terminal da aorta abdominal). 
A a. ilíaca externa torna-se artéria femoral quando cruza o ligamento inguinal e entra no trígono femoral.
No trígono femoral, a artéria femoral profunda surge do aspecto póstero-lateral da artéria femoral. 
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Viaja posterior e distalmente, dando três ramos principais:

 

Ramos perfurantes: Consiste em três ou quatro artérias que perfuram o adutor magno, contribuindo para o suprimento dos músculos da coxa medial e posterior.
Artéria circunflexa lateral do fêmur: Envolve o lado anterior, lateral do fêmur, suprindo alguns dos músculos na face lateral da coxa.
Artéria circunflexa medial do fêmur: Envolve o lado posterior do fêmur, suprindo o pescoço e a cabeça. Em uma fratura do colo do fêmur, essa artéria pode ser facilmente lesada e pode ocorrer necrose avascular da cabeça do fêmur.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
Depois de sair do triângulo femoral, a artéria femoral continua pela superfície anterior da coxa, através de um túnel conhecido como canal adutor.
Durante a sua descida, a artéria fornece os músculos da coxa anterior.
O canal adutor termina em uma abertura no adutor magno, chamado de hiato adutor.
A artéria femoral passa por essa abertura e entra no compartimento posterior da coxa, proximal ao joelho.
A artéria femoral agora conhecida como artéria poplítea.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Outras artérias da coxa

Além da artéria femoral, existem outros vasos suprindo o membro inferior.

A artéria obturadora origina-se da artéria ilíaca interna na região pélvica

Desce através do canal obturador e segue pela região medial da coxa, bifurcando-se em dois ramos:

 

Ramo anterior: Supre o músculo pectíneo, obturador externo, músculos adutores e grácil.

 

Ramo posterior: fornece alguns dos músculos glúteos profundos.

A região glútea é amplamente suprida pelas artérias glúteas superior e inferior

Essas artérias também se originam da artéria ilíaca interna, entrando na região glútea através do forame isquiático maior.

A artéria glútea superior deixa o forame acima do músculo piriforme, o inferior abaixo do músculo. 

Além dos músculos glúteos, a artéria glútea inferior também contribui para a vasculatura da coxa posterior.

perna

A artéria poplítea desce pela coxa posterior, produzindo ramos geniculares que suprem a articulação do joelho. 
Move-se através da fossa poplítea, saindo entre os músculos gastrocnêmio e poplíteo. 
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
Na borda inferior do poplíteo, a artéria poplítea termina dividindo-se na artéria tibial anterior e no tronco tibiofibular
O tronco tibiofibular divide-se nas artérias tibial posterior e fibular .
A artéria tibial posterior continua inferiormente, ao longo da superfície dos músculos profundos (como o tibial posterior). 
Acompanha o nervo tibial ao entrar na planta do pé através do túnel do tarso. 
A artéria fibular move-se lateralmente de seu ponto de origem, penetrando no compartimento lateral da perna. 
Fornece suprimento para os músculos do compartimento lateral e músculos adjacentes no compartimento posterior.
A outra divisão da artéria poplítea, a artéria tibial anterior, passa anteriormente entre a tíbia e a fíbula, através de uma lacuna na membrana interóssea. 
Em seguida, ele se move inferiormente pela perna. 
Ela percorre todo o comprimento da perna e no pé, onde se torna a artéria dorsal do pé.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

O suprimento arterial para o pé é entregue através de duas artérias:
Artéria dorsal do pé (continuação da artéria tibial anterior);
Artéria tibial posterior.
A artéria dorsal do pé começa quando a artéria tibial anterior entra no pé. 
Passa por cima do aspecto dorsal dos ossos do tarso, depois se move inferiormente em direção à sola do pé. 
Em seguida, se anastomosa com a artéria plantar lateral para formar o arco plantar profundo
A artéria dorsal do pé fornece os ossos do tarso e o aspecto dorsal dos metatarsos. 
Através do arco plantar profundo, também contribui para o fornecimento dos dedos dos pés.
A artéria tibial posterior entra na sola do pé através do túnel do tarso
Em seguida, ele se divide nas artérias plantares lateral e medial
Essas artérias suprem o lado plantar do pé e contribuem para o suprimento dos dedos através do arco plantar profundo.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.

Referências Bibliográficas

BONTRAGER: Kenneth L.;  John P.  Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.
MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.
NETTER: Frank H. Netter Atlas De Anatomia Humana. 5.ed. Rio de Janeiro, Elsevier, 2011.
SOBOTTA: Sobotta J. Atlas de Anatomia Humana. 21ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.
Gostou do nosso conteúdo? Ajude-nos, compartilhando em suas redes sociais!