Na posição ereta adquirida pelo homem, os membros superiores deixam de ter a incumbência da sustentação, locomoção e do equilíbrio. 

Estas funções passaram a ser exer­cidas pelos membros inferiores, mas, por outro lado, nos membros superiores, desenvolveu-se um compli­cado sistema de articulações e alavancas para permi­tir variado posicionamento da mão, um órgão delica­do, capaz de cumprir sofisticadas tarefas de explora­ção, apreensão e manipulação, isto é, trabalho.

A estrutura ósteo-articular da cintura escapular faz parte deste complexo sistema de alavancas.

Por esta razão, as lesões que interferem com a mobilidade nas articulações do membro superior, se traduzem por uma dimi­nuição da eficiência da mão e são, portanto, mais graves que as que atingem articulações do membro infe­rior.

Infelizmente, estas lesões são frequentes, em uma civilização mecanizada como a nossa.

MOORE: Keith L. Anatomia orientada para a clínica. 7 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.

Os membros superiores são formados por:

Escápula e clavícula, que constituem a cintura escapular.

Úmero (osso do braço), que se articula superiormente com a escá­pula e inferiormente com o rádio e a ulna (ossos do antebraço).

E o esqueleto da mão e punho, que se articula com o rádio.

O termo técnico usado para dedos das mãos, é: Quirodáctilo .


Aproveite e estude cada um deles agora mesmo!

Gostou do conteúdo? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais.